A Aplicação da Tortura é Inteligente?

A ascensão do saudita Said Ali al Shihri, ex-prisioneiro de Guantá,namo, em Cuba, como vice-líder do braço da rede terrorista Al Qaeda, no Iêmen, levanta dúvidas, e críticas, sobre a medida anunciada nesta última quinta-feira (22) pelo novo presidente americano, Barack Obama, de fechar o centro de detenção para suspeitos de terrorismo em um prazo máximo de um ano.

Aberto desde o início de 2002, numa base naval norte-americana situada no sudeste da Cuba, o centro de detenção retém actualmente 255 dos cerca de 800 prisioneiros que já por lá passaram. Contra todos os princípios da justiça norte-americana, estes homens são detidos por um período ilimitado sem que seja apresentada qualquer acusação contra eles.
Simplesmente considerados como "combatentes inimigos" por um tribunal militar, os detidos dispõem apenas (desde Junho) de uma possibilidade de recurso a um tribunal federal.

Barack Obama prometeu várias vezes durante a sua campanha que iria encerrar o centro de detenção, símbolo dos excessos da "guerra contra o terrorismo", realizada por George W. Bush, e criticado pela comunidade internacional.

A frase "excessos da guerra contra o terrorismo" foi frisada exatamente porque esses excessos referem-se a métodos de tortura alí aplicados. Alguém avalia o terror que essa "guerra ao terrorismo" escondeu em seus secretos porões?

1 comentários:

André disse...
on

eu faria um trato - mandaria para la os deputados e senadores brasileiros para servirem de "avaliaçao" sobre tecnicas de tortura...curra/empalamento/trazia um cubanos bem dotados...so o clodovil ta fora...falando menos serio contra terrorista nunca existe excesso.

Pesquisar no Blog