CO2-Emissões brasileiras


O Brasil não está entre os responsáveis “históricos” pelo efeito estufa e, por conta disso, não tem metas obrigatórias de redução de emissões (pelo menos nessa primeira etapa de validade do Protocolo de Quioto, que vai até 2012). No entanto, é um dos países em desenvolvimento com destaque negativo no ranking dos maiores emissores atuais de CO2 (inclusive em emissões per capita). Os números do Brasil representam entre 3% e 4% das emissões globais.

Assim como a Indonésia, e diferentemente da China e da Índia, por exemplo, a composição das emissões brasileiras é invertida em relação às globais. Enquanto, mundialmente, 80% das emissões de CO2 decorrem da queima de combustíveis fósseis (carvão, petróleo e gás natural), e os outros 20% advêm dos usos inadequados da terra (sobretudo o desmatamento e queima das florestas tropicais), no Brasil, segundo o inventário de emissões, de 1994, 75% das emissões resultam do desmatamento (principalmente na Amazônia) e de outros usos inadequados da terra. O setor energia vem a seguir, com 23%. Para se ter uma idéia da diferença na composição das emissões, no Reino Unido, 90% das emissões concentram-se em quatro setores: indústria (25%), energia (24%), transporte (24%) e habitação (17%). CO2

Paulo Moutinho, coordenador do Programa de Mudanças Climáticas do Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (Ipam), explica que só a floresta amazônica brasileira armazena quase 50 bilhões de toneladas de carbono em seus 3,3 milhões de quilômetros quadrados. “Cerca de 200 milhões de toneladas de carbono são emitidas para a atmosfera em função da derrubada de uma média de 1,8 milhão de hectares de floresta a cada ano (18.000 km²), o que corresponde a 75% das emissões brasileiras de CO2 e a quase 3% do total de emissões globais”, explica. Por conta disso, o país é o quarto maior emissor mundial de CO2, no ranking da Convenção do Clima. CO2

Pesquisas recentes do Ipam, por meio do Programa Cenários para a Amazônia, mostram que, se o país continuar nesse ritmo, em 2050 mais de 40% da floresta amazônica terá desaparecido e 36 bilhões de toneladas de carbono terão sido emitidas, agravando de forma significativa o aquecimento do planeta.


1 comentários:

Lilly disse...
on

Horrível saber disso. Mas, infelizmente, não só o Brasil não leva a sério o grave problema do Aquecimento Global, como as demais nações. Muito se fala em reverter seus malefícios, mas de efetivo não se faz nada e, erroneamente se taxa os ecologistas de Ecochatos e quem se preocupa com isso de exagerado. Mais surreal, é saber que a NASA pesquisa Marte, tentando encontrar maneiras de o homem superar o clima hostil de lá e, quem sabe um dia colonizar o planeta vermelho e pra quê? Se um dia conseguir isto, é somenta para destruir um outro planeta do sistema solar.
Aproveito, para agradecer ao João Assis pela visita ao meu blog e para dizer que com muita honra, estarei seguindo vocês. Quem sabe, quando tiver mais tempo disponível, até candidate-me a ser redatora neste excelente blog. Abços

Pesquisar no Blog