Brasileira é agredida por neonazistas na Suíça. Paula Oliveira estava grávida de gêmeos e acabou perdendo as crianças

A advogada brasileira Paula Oliveira, de 26 anos, foi agredida na noite de segunda-feira (9) por três homens brancos, com cabelos raspados, em Dubendorf, cidade perto de Zurique, na Suíça. Paula estava grávida de gêmeos de três meses e acabou perdendo as crianças, além de sofrer cortes em todas as partes do corpo.


As informações são do site G1. Conforme relatos que fez ao pai, a brasileira havia acabado de sair do trem e estava indo em direção à casa onde reside com o companheiro, Marco Trepp, quando foi surpreendida por três homens, aparentemente neonazistas.

— Deram socos, chutaram e a cortaram com estiletes no corpo inteiro — afirmou Paulo Oliveira, por telefone, de Zurique.

O pai da brasileira informou ainda que os agressores tinham suásticas na cabeça. Paulo, que é secretário parlamentar, foi avisado pela filha sobre o ocorrido, por telefone, na madrugada de terça-feira (10), pelo horário de Brasília. Logo em seguida, ele avisou o deputado federal Roberto Magalhães (DEM-PE), para quem trabalha, e pegou o primeiro voo em direção a Zurique, juntamente com a mãe de Paula, Geni.

Nesta quarta-feira, Paula foi encaminhada ao Hospital da Universidade de Zurique. Conforme o pai da brasileira, ela foi chamada para tomar vacinas antivirais. Como foi ferida por objetos cortantes, os estiletes poderiam estar contaminadas com hepatite ou outra doença.

Paulo contou, também, que a polícia ainda não procurou a filha para recolher mais informações sobre o ataque.

— Eles aparentaram nenhum interesse. Aparentemente estão trabalhando sem nos dar informação. Porém, neste momento, a prioridade é cuidar da minha filha. Ela está em estado de choque — completou o pai da vítima.

Paula e os pais devem voltar para Recife em uma semana. Paulo não tem previsão do que irá acontecer depois.

— Ela trabalha para uma empresa aqui e precisa ver o que a empresa vai querer. Não sabe ainda se voltará para Zurique — completou.

Tarcicio Andrade

1 comentários:

Gui disse...
on

Tarcísio, isso é uma brutalidade sem tamanho e justificativa. Tenho medo que esse sentimento anti-imigrante volte com tudo a Europa agora devido a crise.

Os governos europeus tem culpa no cartório, porque são incompetentes e não conseguem resolver o problema. Ai sempre sobra para o mais fraco, o imigrante

Espero que esse caso nãos e repita e que o governo suíço e da UE tomem providências punindos os responsáveis pelo ato. Abraços.

Pesquisar no Blog