O Castelo de 25 Milhões

Brasília – O 2º vice-presidente da Câmara, Edmar Moreira (DEM-MG), está a um passo de perder a Corregedoria da Casa. O presidente Michel Temer (PMDB-SP) e líderes partidários fecharam acordo para votar na terça-feira projeto que desmembra o posto ocupado pelo deputado e cria um órgão de investigação independente da Mesa Diretora. O acordo foi costurado por Temer e anunciado a Moreira, que consentiu com a votação do projeto e com seu enfraquecimento. O deputado do DEM viu sua situação se deteriorar desde que defendeu publicamente a falta de praticidade do Conselho de Ética e ao declarar que a Câmara não deveria mais julgar casos de quebra de decoro.

Além da possibilidade de um processo de expulsão a ser aberto por seu partido na semana que vem, ele também está ameaçado de responder a um processo por quebra de decoro parlamentar. O PSOL disse que estuda encaminhar uma representação ao Conselho de Ética por conta das denúncias de que ele omitiu um castelo no valor de R$ 25 milhões, no interior de Minas Gerais, de sua declaração patrimonial.edmar moreira,câmara,deputados,senado,política,partidário,brasília,castelo

Veja as imagens aéreas do castelo

A crise gerada pelo 2º vice-presidente apressou a Mesa Diretora a dar aval à tramitação do projeto que cria uma corregedoria independente. Para não passar por análise prévia, a proposta, de autoria do deputado Raul Jungmann (PPS-PE), ganhará o selo de “urgente, urgentíssima” e estará pronta para votação no plenário da Casa a partir de terça. A maioria dos integrantes da Mesa Diretora vê o desmembramento com bons olhos.

Leonardo Costa/Esp.EM/D.A Press
Construção na Zona da Mata chama a atenção pelo luxo. São oito torres, 36 suítes,18 salas, piscina com cascata, fontes, espelhos d'água e 275 janelas


Segundo o projeto de Jungmann, o novo órgão será ocupado por três integrantes: um titular e dois adjuntos. Caberá ao presidente da Câmara indicar os integrantes da Corregedoria. Os três terão mandato de dois anos. Jungmann não esconde que seu projeto de resolução foi motivado pelas declarações de Moreira, que defendeu que caberia somente ao Judiciário cassar mandato de deputado.

Por: Lina Franzzin

2 comentários:

Tarcicio Blog disse...
on

Ótima matéria. Cumpre bem a função de expor a osbcuridade enigmática que cerca Brasília. Aquilo é um canteira de robalheira!

Gui disse...
on

É incrível como a cada da que passa mais falcatruas e corrupção são descobertas. Dá vergonha de ser brasileiro as vezes, compatriota de pessoas como esse deputado que rouba e ainda tem a cara de pau de dizer que nãof ez nada. Que vergonha!

Pesquisar no Blog