Israel pede desculpas a chefe da ONU por ataque a prédio em Gaza

15/01/2009

Gaza (Reuters) - O ministro da Defesa de Israel, Ehud Barak, pediu desculpas na quinta-feira ao secretário-geral da ONU, Ban Ki-Moon, pelos disparos feitos contra instalações de ajuda humanitária da entidade internacional na Faixa de Gaza, disse Ban a jornalistas.
A UNRWA (agência da ONU que presta assistência humanitária aos palestinos) disse que suas instalações, onde há cerca de 700 refugiados, foi atingida duas vezes, e que três funcionários ficaram feridos.
E
m visita a Israel para tentar mediar um cessar-fogo, Ban disse ter protestado incisivamente junto a Barak, que pediu desculpas e disse se tratar de "um grave erro".
"Apresentei meu forte protesto e ultraje ao ministro da Defesa e à ministra de Relações Exteriores, e exigi uma plena explicação", disse Ban.
"O ministro da Defesa me disse que foi um grave erro e que levou isso muito a sério. Ele me garantiu que será dada atenção extra às instalações e funcionários da ONU, e que isso não irá se repetir."
Christopher Gunness, porta-voz da UNRWA, disse após o ataque que a agência suspendera a movimentação de veículos, mas sem interromper as operações de ajuda.
As forças israelenses aprofundaram a sua incursão na Cidade de Gaza, e os combates se intensificaram, ampliando a pressão sobre o Hamas num momento em que ambas as partes avaliam uma proposta de cessar-fogo. Os bombardeios da quinta-feira foram os mais violentos em três semanas de conflito.
No mesmo dia, um míssil ou foguete de Israel atingiu um edifício, no centro da Cidade de Gaza, onde funcionam as sucursais da Reuters e de vários outros meios de comunicação. Um correspondente de uma TV de Abu Dhabi ficou ferido.
Em outros ataques, pelo menos 15 palestinos morreram, e dezenas de moradores da Cidade de Gaza fugiram a pé.
O ministério local da Saúde, controlado pelo Hamas, diz que pelo menos 1.055 palestinos já morreram na guerra. Uma entidade de direitos humanos afirmou que 670 eram civis.
Nesse mesmo período, Israel teve 13 mortes - sendo 10 soldados, além de 3 civis atingidos por foguetes do Hamas.
Ban disse que o número de mortos atingiu "um ponto intolerável".

(Reportagem de Louis Charbonneau)

1 comentários:

EAD disse...
on

Adianta pedir desculpas? Cada vez fico mais chocada com esse massacre.

Pesquisar no Blog